Mangueira

Informações

Equipe: Ricardo de Sousa, Octaviano Araújo e Marcelly Pereira

A ocupação do Morro da Mangueira começou ainda no século XIX. A área pertencia ao Visconde de Niterói, que a recebeu de presente do Imperador Pedro II. Hoje, o Visconde dá nome a uma das principais vias de acesso ao morro, que recebeu a 18a. Unidade de Polícia Pacificadora do Estado do Rio de Janeiro. Já a denominação da comunidade brotou da Fábrica de Chapéus Mangueira, instalada na rua Visconde de Niterói. No final do século XIX, o morro já era amplamente conhecido como Mangueira, razão pela qual a Estrada de Ferro Central do Brasil batizou assim a estação de trem inaugurada em 1889. A estação, por sua vez, viria a batizar a escola de samba fundada em abril de 1928 por Cartola, Carlos Cachaça e outros sambistas. O Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira recebeu as cores verde e rosa em homenagem a um rancho que existia no bairro de Laranjeiras, Os Arrepiados. A escola, uma das mais populares da cidade, e seus compositores tornaram a Mangueira conhecida no Brasil e no mundo. A UPP Mangueira foi inaugurada em 3 de novembro de 2011. O fórum que implantou o Rio+Social (então conhecido como UPP Social) no morro foi realizado em 18 de novembro de 2011.

Dados demográficos

População e Domicílios das Comunidades
Comunidades
População
Domicílios
Fonte: Instituto Pereira Passos, com base em IBGE, Censo Demográfico (2010).
Vila Miséria724233
Morro dos Telégrafos6,6551,985
Mangueira (RA - São Cristóvão)
4,5701,311
Rua Bartolomeu Gusmão428117
Parque Candelária2,212665
Total14,589
4,311

TODO O CONTEÚDO DESTE WEBSITE ESTÁ LICENCIADO SOB A CC ATTRIBUTION 3.0 BRAZIL, EXCETO QUANDO ESPECIFICADO EM CONTRÁRIO E NOS CONTEÚDOS REPLICADOS DE OUTRAS FONTES.