Diálogo UPP Social

19 agosto 2010 | UPP Social | Território: Cidade de Deus, Chapéu Mangueira / Babilônia, Batan, Formiga, Pavão-Pavãozinho / Cantagalo, Providência, Salgueiro, Santa Marta, Tabajaras / Cabritos, Turano, Andaraí, Borel

UPP Social: um projeto coletivo da sociedade do Rio de Janeiro

A história das mobilizações sociais no Rio de Janeiro já viu muitos encontros emocionantes e representativos. Mas poucos, com certeza, tiveram a diversidade do público que se reuniu na manhã de hoje, 19 de agosto, no Teatro Sesi da Firjan, para conhecer o projeto da UPP Social. Empresários, mototaxistas, jornalistas, costureiras, líderes comunitários, pesquisadores, artistas, produtores e diretores de cinema sentaram-se lado a lado. Representantes do governo estadual e da Prefeitura do Rio de Janeiro, militantes do movimento LGBT, policiais militares, policiais civis, promotores, ativistas sociais e moradores de favelas trocaram informações e histórias.  Ao todo, cerca de 450 pessoas lotaram o teatro para ouvir a apresentação deste novo modelo de gestão pública pelo secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, Ricardo Henriques.

Intitulada Diálogo UPP Social, a manhã começou com a apresentação da superintendente de Integração Racial da Seas-DH, a atriz Zezé Motta, que anunciou: “Este encontro é o início de um diálogo permanente. A troca de idéias e experiências será a base permanente do nosso trabalho”.  Em seguida, Zezé convidou para a mesa Henriques; o presidente da Firjan, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira; o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame; o presidente da Associação Comercial, José Luís Álqueres; o presidente da Fecomércio, Orlando Diniz; o reitor da Uerj, Ricardo Vieiralves; a líder comunitária do morro da Babilônia, Percilia da Silvia Pereira e o fundador do grupo Nós do Morro, Guti Fraga.

Entre os convidados, o ator Milton Gonçalves; a apresentadora Regina Casé; as secretárias de Estado Adriana Rattes, da Cultura, Teresa Porto, da Educação, e Márcia Lins, de Turismo, Esporte e Lazer; o diretor de cinema Cacá Diegues; Rubem Cesar Fernandes, do Viva Rio; a presidente da Brasil Foundation, Leona Forman; a pesquisadora americana Janice Perlman;  a presidente do movimento Rio Como Vamos; a diretora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania, Julita Lengruber , entre outros, formavam uma audiência atenta.

A mistura de idades, cores, raças, credos políticos e classes sociais foi o mote dos discursos dos oradores, a começar pelo anfitrião, o presidente da Firjan Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira. “Estamos deixando para trás a cidade partida e construindo um Rio integrado”, destacou. O Secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, também foi na mesma direção. “Hoje é um dia especial. Vejo a sociedade aqui representada. A sociedade estende a sua mão”, comentou. O secretário de Segurança destacou que a importância das ações sociais para a segurança pública. “A UPP Social é a garantia do sucesso do trabalho que a segurança começou. O último P da UPP poderia ser o de “Passo seguinte”. Pela primeira vez nós temos ações articuladas em segurança pública com assistência social.”

UPP Social

O secretário Ricardo Henriques apresentou para o que chamou de “uma foto da sociedade do Rio de Janeiro”, referindo-se à diversidade da plateia presente, o projeto que “vai romper com a lógica da cidade partida difundida por Zuenir Ventura”.

TODO O CONTEÚDO DESTE WEBSITE ESTÁ LICENCIADO SOB A CC ATTRIBUTION 3.0 BRAZIL, EXCETO QUANDO ESPECIFICADO EM CONTRÁRIO E NOS CONTEÚDOS REPLICADOS DE OUTRAS FONTES.